Termina hoje mais uma atividade que usou o testbed FIBRE para o ensino de redes de computadores. Promovido pela Coordenação de Segurança da Informação da STI/UFBA e pelo grupo de pesquisa INSERT/DCC-UFBA, o curso de extensão “Sistema de Prevenção de Intrusão baseado em SDN/OpenFlow” teve tantos interessados que já está com uma lista de espera para a segunda turma.

“Os temas Redes e Cibersegurança têm despertado muito interesse na área de Computação. Além disso, a oportunidade de utilizar uma infraestrutura de experimentação da Internet do Futuro despertou curiosidade e atração nos alunos”, explicou Italo Valcy, um dos instrutores do curso.

Para o Professor Leobino Sampaio, um ponto alto do curso foi a interação e colaboração dos alunos entre si e com o testbed FIBRE. “Durante as oficinas, os alunos fizeram diversos testes na infraestrutura, identificaram oportunidades de melhoria e colaboraram uns com os outros na execução das atividades. Construímos um ambiente de ensino e aprendizagem participativo, onde inclusive os próprios alunos produziam objetos de aprendizagem como vídeos, guias, etc”.

Adriana Viriato, também instrutora do curso, considerou que as diferentes formas de uso do testbed acabaram atraindo um público diverso, o que foi um ponto positivo. “Englobamos pessoas com perfil técnico, acadêmico e de pesquisa. Enquanto alguns buscavam entender mais sobre tópicos em Internet do Futuro e formas de validação de experimentos, outros buscavam possíveis soluções técnicas a serem utilizadas em suas instituições”.

A aluna Carolina Caires, que cursa graduação em Redes de Computadores e Segurança da Informação, utilizou o testbed FIBRE pela primeira vez durante as aulas e gostou da oportunidade, pois o ambiente simula situações próximas da realidade. Robson da Silva, que faz doutorado em Sistemas Computacionais e Algoritmos Distribuídos, também usou o FIBRE pela primeira vez e ficou satisfeito com a flexibilidade e praticidade do ambiente. O analista de redes Cristino Pereira, outro “estreante” no testbed, também teve uma experiência positiva e destacou os recursos da plataforma.

Apesar dos elogios à ferramenta, houve relatos de indisponibilidade.  “Quando tomamos conhecimento que os alunos experimentaram problemas de indisponibilidade do testbed em um dos dias do curso, imediatamente alocamos um técnico para ficar de sobreaviso e em contato direto com os professores durante as aulas subsequentes”, explicou o gerente de Operações FIBRE, Leandro Ciuffo. “Ficamos satisfeitos que o balanço final do curso tenha sido positivo”.

Leandro lembra que os professores que desejarem usar o FIBRE em aulas de redes de computadores podem contar com uma assistência especial da equipe de operações do testbed. Para isso, basta preencher e enviar o formulário disponível em: http://fibre.org.br/documentation/courseware/

O conteúdo

Ao longo do curso os alunos desenvolveram um experimento SDN usando o testbed FIBRE. Nele, foi possível estudar, implantar e testar um Sistema de Detecção de Intrusos (IDS) capaz de identificar ataques cibernéticos em um ambiente com múltiplos sistemas autônomos se comunicando via BGP, além de integrá-lo a um controlador SDN/OpenFlow.

Para saber mais sobre o curso, acesse: https://sti.ufba.br/curso-sdnips